terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Uma data e dois exemplos


Brasilia e Penha estão interligadas hoje por justificadas celebrações. Na pequena comunidade pesqueira de Armação do Itapocoroí, na modesta residência em que vive há décadas, onde estudou grandes temas catarinenses e desfraldou bandeiras de interesse nacional, o ex-governador Antônio Carlos Konder Reis comemora 89 anos de idade.
É um dos raros – se não o único – que se dedicou inteiramente à vida pública. Começou muito jovem, aos 22 anos de idade, como deputado estadual constituinte. E dali para a frente não parou mais. Exerceu vários mandatos no Congresso Nacional e foi governador de Santa Catarina duas vezes: a primeira, em 1975, indicado pelo regime militar; e a segunda, sucedendo Vilson Kleinubing em 1994, com quem foi eleito em 1990.
No Senado e na Câmara Federal cumpriu missões históricas, como relator da Carta de 1967 e relator adjunto da Constituição Federal de 1988. O relator geral, Bernardo Cabral, não se cansava de repetir que seu braço direito na Comissão de Sistematização e na relatoria foi o exemplar político catarinense.
Em Brasilia, a Câmara Federal realiza sessão comemorativa do centenário de nascimento de Jorge Lacerda, um dos mais cultos, humanos e competentes dos governadores catarinenses. Teve destacada atuação na Câmara em dois mandatos, sempre incisivo na defesa das bandeiras de Santa Catarina.
Sessão proposta pelo deputado Esperidião Amin que começou sua vida pública como prefeito de Florianópolis em 1975, escolhido pelo então governador Konder Reis, o aniversariante do dia.
Neste mar de corrupção que enlameia e desmoraliza setores da classe política, dois nomes íntegros que continuam orgulhando Santa Catarina.

Luiz Roberto Herbst novo presidente do Tribunal de Contas

O conselheiro Luiz Roberto Herbst é o novo presidente do Tribunal de Contas do Estado. Foi eleito esta tarde e vai suceder o conselheiro Júlio Garcia. Seu vice e o conselheiro Adircélio de Moraes Ferreira Filho. O novo corregedor é o conselheiro Cesar Fontes. Todos eleitos por unanimidade. Luiz Roberto é natural de Mafra.A posse dos novos dirigentes será o dia 2 de fevereiro.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Tem gente mandando mesmo

A agência e a a administração  municipal de São Bento do Sul, no que se refere a publicidade, parecem ter mesmo "quarteirizado" se é que não entregaram a conta. Não saber o que vai sair na imprensa é uma boa desculpa. Será que aqui também está precisando de Lava-Jato. Aguardem!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Manifestação RIM & VIDA


Agora pouco fui avisado sobre uma manifestação dos pacientes da RIM & Vida pela que se disse funcionária da mesma, de nome, Susan. Perguntou se gostaríamos de fazer a cobertura e que as manifestações seriam no Fórum e na Prefeitura. Imediatamente me desloquei para o Fórum e lá de cima comecei a fotografar os manifestantes, nem tantos assim, e logo fui chamado para descer e conversar com eles. Alguns estavam visivelmente irritados e me acusando de ter chamado a Polícia que estava no local. Tentei explicar para estes que a situação não é enfrentar"bater de frente" com a Justiça,  e sim dialogar. Também comentei que não vi nenhuma ação neste período todo que antecedeu o despejo procurando com tempo uma solução para estes pacientes. A coisa realmente foi empurrada com a barriga e agora chegou neste ponto. Fui acusado de defender e ganhar dinheiro da Pró-RIM por um mais exaltado, enquanto outros tentavam conciliar e agir com racionalidade. Alertei que ninguém ficará sem atendimento, agora a questão de escolher a clínica é opção de cada um. Me deram as costas e vim embora. Estou achando que tem gente com interesse de por gasolina na fogueira, ao invés de apagá-la. O tratamento está sendo secundário, infelizmente. Pobres inocentes úteis e objetos de manobra.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Rim & Vida



Não tenho nada contra o médico Paulo, diretor da Rim & Vida, muito meros quanto aos seus pacientes. Aliás, o maior respeito. Sou contrário a alguns posicionamentos. Desde o início defendi a transferência da clínica para Rio Negrinho. Lá não existe UTI, dirão.  O que muda para os pacientes daquela cidade? São tratados aqui e continuarão sendo. A demanda Rim & Vida x Sagrada Família já iniciou em 2011. Era visto e sabido que o Hospital ganharia a ação que acabou com a sentença judicial de despejo, publicada dia 03 de dezembro. O médico Paulo e seus advogados sabiam disso. Não houve nenhuma tomada de providência que seria lógica, pois é um prestadora de serviços particular. Deveria procurar um outro local e ali com tempo se instalar, não havendo nenhuma interrupção e preocupação com o atendimento. É uma livre concorrência e desde que cumpridas as exigências legais e vistorias sanitárias, se estabelece quem quer, onde quer. Me parece que o doutor Paulo não acreditou na Justiça e deixou a coisa correr solta. Agora, mobilizar pacientes e a população e jogar o problema no colo na Prefeitura não me parece o correto. Já pensaram se cada cidadão que sofrer uma ação de despejo pedir para a Prefeitura arrumar um local para ele morar e pagar por isto? Não tenho procuração para defender a Pró-Rim, mas alegar que a mesma não terá condições de atender todos os pacientes é uma informação leviana e descabida sem qualquer estudo que aponte. Cabe então aos vereadores convocar o presidente da Fundação Pró-Rim de Santa Catarina e saber das suas condições, já que está há mais tempo na cidade. Se a Justiça julgou, foi com base em argumentos. Então porque não ouvir o outro lado. Que tal se a Pró-Rim tem a solução? Afinal a solução não pode ser paliativa e sim definitiva. Também discordo dos termos usados pelos vereadores Mallon e Godoy, que sabidamente advogados, concluíram que o negócio é “barrigar”, contestando a ação para ganhar tempo. Me perdoem, mal conselho e que merece melhor reflexão. De nada adianta, protesto e invasão. Precisa bom senso, solução e atitude, o que me parece não foi tomada até agora.