http://fonts.googleapis.com/css?family=Lobster' rel='stylesheet' type='text/css'/> Blog do Skiba

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Pedradas do PedroKa

Sintomático
Muito estranho a Lojas Americanas de São Bento do Sul, em pleno sábado após um feriado de sexta, permanecer fechada. Aí tem.

Dia D
O próximo domingo, 02, exige muita reflexão daqueles que irão votar e escolher os novos mandatários da cidade. Se depender das propostas dos candidatos, você pode concordar ou não, mas são todos gente de bem e estão se dispondo a uma missão que não é fácil. Irão se tornar vitrine e cair na boca do povo. Portanto muita calma nesta hora.

Participação
Gostem ou não, mas na próxima terça e sexta-feira, às 18:00 na Rádio Liberdade estarei a convite de apresentador Cezar Miranda, participando ao vivo e a cores do seu programa que pode também ser acompanhado pela internet. Quem tem boca vai à radio e  fala.

Mesa redonda 
Amanhã tem Mesa Redonda com os candidatos a prefeito de São Bento do Sul, às 17:30 no Centro de Gestão Empresarial da Acisbs. Terão tempo para falar livremente de suas propostas e também serão sabatinados. Tomara que não fiquem na mesmice de sempre e surjam propostas inovadoras. Cortar salário e fazer economia, além de não agregar muito já se sabe que é apenas promessa de campanha.

Na Justiça
Não muda. Coisas Passaredo. Por aqui durante a campanha quem trabalha mais são os advogados. É um tal de um querer impugnar o outro. Pesquisas então nem falar. Eleição se decide nas urnas pessoal.

Repetindo
O que escrevi dias passados. "A palavra é viva quando são as obras que falam. Cessem, portanto, os discursos e falem as obras. Estamos saturados de palavras, mas vazios de obras." (Fernando de Bulhões y Taveira de Azevedo)

"Moro" e não vejo tudo
Prendeu o mantega e mandou soltar. Prendeu a margarina. Agora prendeu Palocci, depois será o Tiririca.


domingo, 25 de setembro de 2016

Vale a pena ler: Por que eu não voto e não acredito nas eleições

Por que eu não voto e não acredito nas eleições

por LUCAS PETRY BENDER*

“O voto é individual e secreto. A escolha é sua. Pense bem, avalie os candidatos e exerça seu direito”. Estas são as frases às quais se agarra o senso comum e também o senso institucional, como a última tábua da salvação da consciência de cada indivíduo. Os motivos pelos quais nossa consciência afunda são bem conhecidos – ou, pelo menos, por demais sentidos. O que espanta é que, em circunstâncias que se revestem da mais pura individualidade, as fraseologias como a que abrem este artigo escondam um mundo cuja força social atropela e sufoca o indivíduo.
Quem ainda acredita que há um poder de escolha individual – ou que os instrumentos democráticos são tangidos pelos indivíduos? E por que falta a coragem de enfrentar este monstruoso moinho de vento? Por outro lado, ao que corresponde então, efetivamente, o regime democrático de Estado de Direito, onde as eleições livres representam pilar fundamental?
O presidente não será ou deixará de ser eleito por causa de um voto a mais ou a menos. Ou seja, meu voto não faz diferença – embora o discurso da moralidade social não o admita. Ao contrário do que afirma o pseudo-individualismo, o voto é social, e não individual. O voto só cumpre sua função social quando inserido numa ação coletiva. Nessa perspectiva, são as massas que sustentam o Estado Democrático de Direito, e não os indivíduos. Assim, o voto será tanto mais consciente e efetivo quanto mais aglutinador de forças coletivas, se constituindo num vetor das potências sociais. Foi assim, por exemplo, que um ex-operário tornou-se presidente do Brasil. Esta é a dinâmica que deslocou as bases elitistas do Estado, quando o voto era censitário, restrito e/ou limitado, em direção à inclusão das massas na universalidade eleitoral.
Entretanto, alcançado este status, surge todo tipo de reação negativa – falta consciência de classe; o país é de mentalidade subdesenvolvida; a mídia controla e comanda a política; os políticos são corruptos; os eleitores são irresponsáveis; o povo tem memória curta; o poder sempre estará com os endinheirados; eu não gosto de política; os trabalhadores estão desmotivados; o contexto histórico não é propício; as pessoas são individualistas (uma das melhores!); as massas são alienadas; etc., etc., etc. – o poço das justificativas é infinito. E, ao fim e ao cabo, volta-se ao slogan: “exerça seu direito com consciência!” – o poço da hipocrisia e da falta de coragem é infinito. Embora muitas das justificativas sejam coerentes e conseqüentes, é evidente que alguns aspectos estão sendo negligenciados. Proponho oferecer-me como modelo de análise para tornar mais nítido e franco o caráter do processo social.
Não tenho relações sociais consolidadas. Minha família despedaçou-se. Meu trabalho se justifica apenas pelo salário. Minha atividade acadêmica é frustrante porque cheia de razões retilíneas e utilitaristas. Furto-me de julgar as pessoas com que me relaciono, pois são geralmente amáveis; mas são relacionamentos débeis, e cujas perspectivas de aprofundamento não me satisfazem. Cumpre ressaltar: isto não é um desabafo, nem um lamento, nem exorcismo de demônios internos. Isto é uma realidade – nem tão desagradável quanto possa parecer –, na qual, penso, não sou o único vivente. Talvez seja mesmo um modelo social, do tipo pequeno-burguês-universitário-classe-média-branca-niilista-individualista-intelectualizado-descendente-de-colonizadores-europeus-do-sul-do-Brasil-herdeiro-de-pequenos-proprietários.
Brasil e mundo afora, devem existir outros tantos indivíduos, encaixados ou não em modelos, que tenham também relações sociais fracas – uns admitindo, outros não; uns percebendo, outros não; uns conformados, outros não. O que importa aqui é o que diz respeito à participação política, mais especificamente na via eleitoral. Sendo o voto social, é evidente que para esses indivíduos o voto não cumpre sua função. São pessoas sem qualquer influência coletiva e, geralmente, distantes das influências sociais. Por certo que não sou um átomo – basta observar que dependo de muitas forças sociais para comer, por exemplo – mas também não participo da vida de gado, sou incapaz de convencer ou de ser convencido de tal ou qual opção de voto. E – repito – voto que não se insere em determinada força social não tem qualquer sentido.
Esta é a minha própria alienação – e de outros, certamente – mas vejo que a maioria está submetida à face oposta da mesma moeda: alienação de rebanho, manipulável e suscetível (à propaganda, às lideranças, ao senso comum, à opinião do vizinho, à mídia, ao discurso técnico-científico, às pesquisas, à opinião pública!). Esta é a miséria do caráter social do voto – embora não deixe de ser exuberante a força coletiva que o anima, responsável pela trajetória formidável que universalizou o Estado Democrático de Direito.
Na raiz destas alienações sociais se encontra o caráter alienado da própria política. Na Grécia clássica, quando os habitantes da pólis começaram a escolher seus representantes para as decisões coletivas, nascia o próprio conceito de política, e com ela desenvolveu-se a democracia representativa que culmina no Estado como o conhecemos hoje – embora já tenhamos perdido de vista a antiga opção pela alienação. O voto, universal ou não, continua tendo caráter eminentemente social e alienado.
Pois se a política é a arte do exercício de poder de influência de grupos sobre a massa, por que é que continuam a convocar os indivíduos às eleições? Já não posso me calar diante dos pastores e de seus rebanhos barulhentos. Que saibam:
Primeiro, que existe de fato um fenômeno social que engendra pessoas à parte de todo e qualquer senso de identificação e ação coletivas; (resta comprovar se tal fenômeno é crescente e se tem caracteres eminentemente ligados à juventude, às novas gerações, a determinadas classes, etc.).
Segundo, que tais pessoas podem duvidar, rejeitar e combater todas as permanentes pressões sociais que tentam enquadrá-las, arrebanhá-las, seduzi-las e justificá-las em nome de bandeiras, slogans, grupos, instituições ou coletividades que fazem sentido apenas para rebanhos.
Terceiro, que, para os indivíduos, peso na consciência e apelos morais não justificam voto. Um rebanho de caprinos pode ser mais atraente do que um rebanho de bovinos, mas ainda é rebanho.
Quarto, que a resposta mais adequada ao voto compulsório é o voto nulo. Pois a condição primeira para o combate à alienação é o próprio (re)conhecimento radical de sua existência.
Previno-me contra os iluminados que votam a favor do operariado e das classes desfavorecidas; já é grandiosamente patético o histórico de oprimidos guiados por ilustrados. Que façam a revolução aqueles que realmente precisam dela, pois são os únicos imunes à fraqueza da dúvida e à certeza do auto-engano.
Ausência-de-si! Esta é a verdadeira palavra de ordem da sociedade, principalmente em tempos de eleições. Intelectuais votando em prol de operários, operários em prol de burgueses ressentidos, burgueses ressentidos em prol de ambientalistas, ambientalistas em prol de empresários, empresários em prol de cristãos, cristãos em prol de democratas, democratas em prol de trabalhadores, trabalhadores em prol de pseudo-radicais, pseudo-radicais em prol de miseráveis, miseráveis em prol deles mesmos, e eles mesmos em prol da máquina político-partidária! É a roda-viva que continua a carregar o destino pra lá, para longe de nosso primevo vigor animal repleto da liberdade transbordante que nos permite afirmar: “isso eu posso fazer sozinho”.
Os rebanhos continuarão indo bovinamente às urnas. As classes continuarão em luta. A alienação continuará com seu trabalho de feiticeira às voltas com poções mágicas. Mas os indivíduos! Estes não mais tolerarão a ilusão de um mundo pretensamente individualista; não mais calarão diante das infâmias das manadas; não mais aceitarão serem confundidos pelos supostos iguais. Indivíduos não têm direitos, mas sim um único e imenso dever: viver sem as ilusões e idealismos e falsificações que aprisionam-bestializam-santificam-padronizam-conceitualizam-absolutizam-doutrinam, ou seja, exaurem a tragédia e a beleza da vida. Ainda estamos muito longe de nos tornarmos indivíduos?
“Naquela época, meu instinto decidiu-se de maneira inexorável contra a continuação da condescendência, do seguir-aos-outros, do enganar-a-mim-mesmo. Qualquer modo de vida, as condições mais desfavoráveis, enfermidade, pobreza – tudo me parecia preferível àquela ‘ausência-de-si’ indigna à qual eu me entregara, por juventude, e na qual eu acabara ficando pendurado mais tarde por preguiça, devido ao assim chamado ‘sentimento do dever’.” (NIETZSCHE, F. Ecce Homo. Porto Alegre: L&PM, 2010, pág. 100).

* LUCAS PETRY BENDER é historiador.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Pedradas do PedroKa

"É preciso muita fibra para chegar às alturas e, ao mesmo tempo, muita flexibilidade para se curvar ao chão" (Stephen R. Covey)

Palanque aguentou
Como um lei muda o comportamento das pessoas. Hoje sobrou lugar no palanque oficial no desfile em comemoração aos 143 anos de São Bento do Sul. Os vereadores e candidatos a reeleição nem passaram perto com medo de alguma foto e representação. Aliás o público também foi fraco e parece estar com medo dos candidatos.

Esqueceram
 Consta que o Poder Público esqueceu de enviar ofício convidando integrantes do 5º RCC para abrilhantar o desfile do aniversário da cidade.Culpa de quem?

Cola fraca
Tem partido reclamando da cola dos adesivos para carros. Caem com uma facilidade tremenda. No outro dia já aprece outro no lugar.

Lombada
Lombada refeita em frente a Delegacia de Polícia gerando reclamações. Ficou fora dos padrões e os carros estão batendo embaixo. O próprio Pedro Ivo Diener disse que já estão comparando a mesma com sua barriga.

Sem cacoete
Thomazini não tem mesmo nenhum cacoete para ficar com bandeira na mão. Estava muito desconfortável na manhã de hoje na hora do desfile.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

ZOOM SOCIAL - por Pedro Alberto Skiba - 22-09-2016

"A paciência faz contra as ofensas o mesmo que as roupas fazem contra o frio; pois, se vestires mais roupas conforme o inverno aumenta, tal frio não te poderá afetar. De modo semelhante, a paciência deve crescer em relação às grandes ofensas; tais injúrias não poderão ofender tua mente" (Leonardo da Vinci)

Euro lança nova coleção com campanha estrelada por Sabrina Sato

Uma atmosfera cosmopolita e urbana inspira a nova coleção de óculos e relógios da marca de acessórios Euro, que tem Sabrina Sato como novo rosto. A apresentadora foi fotografada por Eduardo Rezende em um cenário de arranha-céus que serviram como pano de fundo para entrar no mood da coleção.
Entre os lançamentos, uma das principais novidades é o modelo de óculos de sol de aro clássico tartaruga com hastes e ponte de metal, uma tendência forte da temporada. Também ganha destaque a seleção de relógios com cortiça, material inédito que aparece em detalhes como o mostrador e pulseira. Os modelos, com caixas robustas, contrastam o toque rústico da cortiça com acabamento nobre de metal dourado ou prateado. Ao todo, a coleção terá 17 novos modelos de relógios e 12 óculos solares femininos.
Carismática e apaixonada por moda, Sabrina foi escolhida pela Euro após cinco temporadas de parceria com a top Isabeli Fontana e trouxe à tona seu olhar fashionista ao participar pessoalmente da seleção das peças para a sessão de fotos. A apresentadora também revelou encantar-se com a forma como os acessórios transformam um look. “Tenho vários relógios, acho que são coringa para qualquer situação”, contou a beldade.




Macarronada com sucesso
Mais uma vez foi um sucesso a Macarronada do TAJ, muita música, gastronomia e gente bonita foram os ingredientes da festa. Crédito: Thiago Machado

no
                                                                                 Kerolyn Adriano
                                        Leandra Mengediski
  Patricia Trentin
                            Tainan Delfino

Beethoven Jr
Sempre talentoso, o double de músico e basqueteiro, hoje bem mais músico, José Acácio Wotroba "Beethoven Jr", "Cacito" como eu conheci, continua encantando com sua sonoridade musical. Agora se apresenta as sextas e sábados a partir das 19:30, em Itajuba no Tudo Alles Blau em Itajuba. Na foto com a equipe do Alles. Sejam benvindos.



Première Vision Paris
A renomada estilista catarinense Karla Vivian, prestigiou na última semana, a seleta e exclusiva feira Première Vision, em Paris, considerada a maior e mais conceituada feira mundial, no segmento textil . Segundo a estilista, a feira de tecidos e acessórios, além de oferecer muitas opções para compra de matéria prima, tanto no segmento de alta costura, como na moda praia, a deixou atualizada sobre todas as tendências de moda das próximas estações. “O contato direto com  esses materiais ajuda muito nas inspirações e no desenvolvimento das coleções. Saímos de lá com a cabeça borbulhando de novas idéias”, disse. Além da Première Vision, Karla Vivian visitou no final de semana, a Textword Paris e completou a sua viagem à cidade Luz, em uma feira de casamentos, acompanhada da filha Anna Júlia. Créditos:  Xs Excess Comunicação



Curta o som


Feira da Esperança

A Presidente da Apae de Florianópolis, Senhora Elizabeth Teresa Donato das Neves, convidando para a 29ª Feira da Esperança, a ser realizada no dia 23 a 25 de setembro, das 10h às 23h45



Academia Joinvilense de Letras

Realiza seu 1º Sarau artístico e Literário

A Academia Joinvilense de Letras promove nesta segunda-feira (26),  a partir das 19h30 a sua 1ª edição do Sarau da Academia, na “Sala Mozart”,da Sociedade Harmonia Lyra, que é também a sede da Academia. Haverá apresentações musicais, com músicos especialmente convidados e declamação de poesias. Estará presente a acadêmica Irmã Clea Fuck, que não reside mais em Joinville, mas foi por muitos anos diretora do Colégio Santos Anjos.

Fatima Bernardes, Willian Bonner e outros famosos vão a festa da nova programação da TV Globo

O evento ocorreu na noite de quarta-feira, 27, no Credicard Hall, na zona sul de São Paulo.





Gente que é notícia

Marlene e Sandro Kahlonw, ele feliz com sua nova carreira como consultor na área de vendas

De Porto União, Roberta Veran Strobino e o radialista Marco Aurélio Locutor, com a pequena Yasmin


Lídia Inês Kulawoski - Coordenadora da Região Brasil do Programa Celebrando Sucessos, Luciana Habowsky - Coordenadora do Projeto Magia das Bonecas 2016 e Silmara Dolci Adário Grossi - 2ª tesoureira do SI SBS.(Foto Sandro Glowacki)

 Margareth Valandro e Walter Wolf (Foto Sandro Glowacki)
    Karla Sofia Diener e Zuleika Friedrich (foto Sandro Glowacki)
Marcia Baumgarten - Coordenadora do Desfile de Moda Customizada do Projeto Magia das Meninas 2016 e Flavia Gonçalo Martins Tureck - madrinha da boneca Barbie Gisele Bundchen (Foto Sandro Glowacki)
Ares internacionais

Luiz Eugênio Duvoisin e Alice, curtindo os ares de Miami, e ela que foi assistir ao show do Il Divo, ao vivo e a cores.
Recordando  
Gala do Planalto Norte 11ª edição - agosto de 2006.
Pedro Santana Mota, Solange Machado Fragoso Beckert, Otair Becker, Terezinha Jaensch e Zulma Grossl, homenageados com o troféu "Olho do Tempo"

Nova loja
A Enxovais D!Oro, exclusiva Buddemeyer, inaugurou em Joinville sua mais nova loja. Um presente para a cidade e uma tentação para os clientes.
No registro Rolf Buddemeyer e sua mulher Ely, proprietária, apresentadora Fabíola Bernardes e Natasha Maria

EXPOARA INICIA DIVULGAÇÃO DO PROJETO CARAVANAS RUMO À MOVELPAR 2017

O Expoara – Centro de Eventos, em Arapongas/PR, inicia a divulgação do Projeto Caravanas voltado à Movelpar 2017, que será realizada de 13 a 16 de março do próximo ano. A iniciativa visa incentivar grupos de lojistas a visitarem a Feira com subsídio de até 40% no transporte terrestre.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Pedradas do PedroKa

Milium inaugura
A rede Milium inaugurou segunda loja em Balneário Camboriú. Neste ano já abriu uma unidade em Joinville, no bairro Costa e Silva, e uma na cidade de Barra Velha. Também vai reformar em Brusque e nos Ingleses, Norte da ilha, em Florianópolis.

Confiança cresce
A confiança do industrial catarinense registrou novo aumento em setembro. O índice atingiu 55,6 pontos e cresceu 4,5 pontos em relação ao mês anterior. Este é o melhor resultado desde março de 2013. O indicador também é superior à média histórica, iniciada em julho de 1999 (53,3 pontos). A pesquisa foi realizada pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) com 199 indústrias. Acima de 50 pontos indica confiança e abaixo, falta de confiança na economia.
Este é um ótimo sinal para o futuro. Até o momento, os números de produção e vendas seguem ruins. O estudo ainda revela que as condições atuais da economia caminham para recuperação, mas ainda estão abaixo da linha divisória entre o otimismo e o pessimismo (46,6 pontos).

Pesquisa
Pmdb encomendou pesquisa eleitoral, e como deve estar na frente está tentando registrar para publicação. O PP já está tentando proibir a divulgação. Acredito que a calmariam que reinou até o momento bai descambar para a baixaria agora neste últimos dias até as eleições do dia 02.

Otimista
Conversei hoje com vereador e candidato a reeleição Peti (PP), que se disse bastante otimista com relação ao pelito do próximo dia 02. Aproveitou e me pediu o voto, com a elegância de sempre.

Vencidos
Os pessimistas, derrotistas, aves de rapina, profetas do apocalipse e coveiros devem estar enfiando rabo entre as pernas. Foram vencidos. A TUPER deu a volta por cima e que volta. Sai da crise que passou muito mais fortalecida. Ganham os funcionários, a cidade, o Estado e o País. Renovam-se as esperanças de dias melhores para muitas famílias. 





terça-feira, 20 de setembro de 2016

TUPER fortalecida com aço

São 19:45 e acabo de falar por telefone com o empresário Frank Bollmann, presidente da Tuper Indústria Metalúrgica que está no aeroporto de Miami embarcando para o Brasil. Logo após ler a notícia da aprovação pelo Cade da negociação de 40% de novas ações ordinárias (aumento de capital), adquiridas pela Arcelor Mital, Frank se disse feliz com a negociação, pois depois de dois anos de muitas dificuldades agora passa a contar com um  novo sócio, conhecido e que é o maior produtor de aço do mundo. O dobro do segundo colocado. A negociação e muitos detalhes ainda serão definidos num acordo de acionistas e o importante é que a empresa sai fortalecida pois terá acesso a novas tecnologias, retomadas das exportações e a garantia do fornecimento de matéria prima. Frank disse que só lamenta a demissão de muitos colaboradores, equipe que foi formada na família Tuper. Ganha São Bento do Sul, ganha Santa Catarina e o Brasil. 

Convite


CONVITE


O Presidente da Associação Empresarial de São Bento do Sul - ACISBS, convida os membros do Conselho Superior, Conselho Deliberativo, Conselho Consultivo, Diretoria, coordenadores de núcleos, Associados da ACISBS e Comunidade para participarem da Mesa Redonda com os Candidatos a Prefeito de São Bento do Sul conforme segue:


MESA REDONDA COM CANDIDATOS A PREFEITO DE SÃO BENTO DO SUL

DATA................   26 de setembro de 2016 (Segunda-feira)
HORA................   17h30 (Duração 3h)
LOCAL..............   Auditório da ACISBS - Associação Empresarial de São Bento do Sul - Rua Afonso Grosskopf, 352 – Bairro Colonial – São Bento do Sul - SC.


ORDEM DO DIA:


1) Abertura;

2) Palavra franqueada aos candidatos, de acordo com sorteio, para exporem seus programas com relação às demandas da ACISBS. (2h)

3) Perguntas franqueadas ao público presente com relação às suas demandas, interpostas por um moderador externo. (1h)



Cordialmente,



Mario Nenevê
Presidente ACISBS