quinta-feira, 27 de abril de 2017

Pedradas do PedroKA

Minha Casa Minha Vida é discutida com a CEF
"Na tarde desta terça-feira (25) o prefeito Magno Bollmann recebeu em seu gabinete representantes da Superintendência Regional de Joinville da Caixa Econômica Federal, sendo o gerente Dorival Machado Junior e os engenheiros Jean Carlos Ramos e Tiago Bernardi, além do gerente da CEF de São Bento do Sul, Edilson Miguel Leite de Paulo Rocha, presidente da EMHAB Teodósio Kachuba, engenheiro da EMHAB Rodrigo Schreiner, e do proprietário da Construtora Implantec, Luiz Fernando Moldenhauer". Me perdoem mas já vi esse filme. Minha Casa meu Pesadelo. Alpestre II. Vai começar tudo novamente. E os atores são os mesmos. Direção, coreografia, efeitos especiais, roteirista, etc. etc...

Lei de abuso de autoridade: por que o medo?

Euro Bento Maciel Filho*

Já não é de hoje que o país vem atravessando um período turbulento, muito disso por conta da Operação Lava-Jato e seus desdobramentos.

Referida ação policial, que descortinou uma trama sórdida de corrupção em todos os níveis, de todos os Poderes da República, tem se revelado, de um lado, em fonte de preocupação para uma parcela da classe política nacional e, de outro, em motivo de esperança para boa parte da população, que voltou a acreditar, ainda que timidamente, nas leis e nas Instituições pátrias.

Dentro desse contexto, era mesmo normal, e até esperado, que a sociedade passasse a escolher seus “heróis” e os seus “vilões”. Evidentemente, do lado do “bem” foram endeusados juízes, promotores de Justiça, agentes policiais e todos os demais que passaram a “lutar contra a corrupção”. De outra banda, vistos como “inimigos da Nação”, ficaram aqueles que “sugaram” o Brasil durante anos, ou corrompendo ou se deixando corromper em troca de favores e poder.

Traçados estes parâmetros, uma vez identificado “quem é quem” no contexto das investigações, duas foram as consequências práticas que surgiram, ambas extremamente perigosas à ideia de um verdadeiro Estado Democrático de Direito.


A primeira delas, verificada logo no início das apurações e que ainda perdura, foi a permissão tácita, concedida pelo “clamor social”, para que certos exageros fossem cometidos, em detrimento dos direitos e garantias fundamentais dos investigados. De fato, sob o falso pretexto de que “o interesse público deve prevalecer sobre o privado”, permitiu-se, com o aval do Poder Judiciário, que prisões preventivas fossem decretadas aos borbotões (e sem o critério devido), que delações fossem “vazadas” para que outras pudessem ser obtidas, que conduções coercitivas fossem determinadas ao arrepio da lei, dentre tantos outros desvios. E, dentro desse cenário, é certo que a sociedade a tudo aplaudiu, o que conferiu certa legitimidade para que os excessos continuas sem sendo praticados, impunemente.

De outro lado, ao mesmo tempo em que tais excessos passaram a ocorrer, era de se esperar que vozes se levantassem para denunciá-los e, também, para postular pela responsabilização pessoal daqueles que se excederam. Foi, aí, então, que a segunda consequência eclodiu, vez que, de forma cega e inconsequente, o corpo social passou a incluir no grupo dos “vilões” – até então formado apenas pelos efetivos agentes dos crimes – todos aqueles que, de alguma forma qualquer, ou passaram a criticar as operações policiais ou, então, tentaram denunciar os excessos e as ilegalidades que vinham sendo – e ainda são – praticadas.

Criou-se, assim, uma profunda cisão no nosso meio social, de tal forma que ou se está com a Lava-Jato (o que pressupõe admitir, sem ressalvas, qualquer forma de atuação do Estado no combate à corrupção) ou, então, se é contrário (seja um investigado ou apenas alguém que pregue a defesa de garantias constitucionais), o que o torna também, em paralelo, “defensor da corrupção”. Infelizmente, no que diz respeito à Lava-Jato, o “meio-termo” e a serenidade deixaram de existir.

E foi justamente dentro desse tumultuado contexto que, de uns tempos para cá, o Congresso Nacional passou a debater o Projeto de Lei do Senado (PLS) n. 280/2016, que tem como objetivo definir os crimes de abuso de autoridade.

O debate em torno desse tema, assim que surgiu, tem causado enorme alvoroço. Afinal, por conta da forma maniqueísta de pensar da sociedade, o referido projeto foi imediatamente repelido, tachado como uma “defesa dos envolvidos” para assim “obstaculizar a Lava-Jato”, etc.

Na mesma toada, o grupo dos tais “heróis” passou a fazer forte propaganda contra a aprovação daquele PLS, pois, de acordo com o entendimento sensacionalista por eles defendido, a aprovação do projeto representaria o “fim da Lava-Jato”.


Contudo, é bom dizer, desde logo, que a realidade é bem outra.

O PLS 280/2016 representa, sem nenhuma dúvida, um grande avanço no tratamento do tema atinente ao abuso de autoridade.  Aqui, é importante esclarecer que o crime de abuso de autoridade já existe em nosso ordenamento jurídico e, atualmente, está previsto na Lei 4898/65. Vê-se, pois, não é algo novo nem revolucionário.

Ademais, cumpre dizer que referida lei foi elaborada e entrou em vigor justamente durante o período militar, ou seja, na época da ditadura, durante a qual os abusos eram mais frequentes e violentos. Seguramente, vem daí, pois, o motivo de ser uma lei pífia, de pouca aplicação prática e que, na realidade, não pune ninguém (a pena prevista para o crime de abuso de autoridade, segundo a Lei 4.898/65, é de míseros 10 dias a seis meses de detenção).

Ora, vivemos uma época diferente daquela que o país atravessava em 1965. De lá para cá, vivenciamos não só uma grande modernização nos métodos de investigação, como também vivemos uma era em que, muito por conta das melhorias tecnológicas, tudo é investigado, devassado, apurado, cruzado. É preciso, portanto, conferir ao cidadão uma ideia mais clara e precisa a respeito dos efetivos limites dos agentes públicos, sobretudo no que diz respeito às investigações e apurações de crimes.

Muitos dizem que esse não seria o momento (mais) adequado para a discussão e posterior aprovação daquele projeto, já que, para estes, uma lei que coibisse o abuso de autoridade poderia atrapalhar o desenrolar das investigações ou, quiçá, até colocar um fim na Lava-Jato.

Tal raciocínio, contudo, é totalmente equivocado. Admiti-lo importaria em aceitar que o Estado pode, quando bem quiser, praticar abusos contra os seus cidadãos; o que soa absurdo e totalmente fora de propósito. Aliás, indo na contramão da maioria, entendo que o momento não poderia ser melhor para se debater a questão, afinal, é justamente agora, quando os excessos se tornam “justificáveis” perante o clamor social, que se faz preciso adotar medidas legislativas eficazes para coibi-los e brecá-los.

Positivamente, ainda que vivamos um período tormentoso, marcado por uma perigosa divisão entre o “bem” e o “mal”, é sempre preciso ter em mente que os agentes estatais não podem fazer tudo aquilo que desejam, sob pena de incorrerem em excessos manifestamente ilegais, que desvirtuam o regime das garantias constitucionais e atentam contra o Estado Democrático de Direito. Da mesma forma que o particular possui os seus limites e, quando os viola, acaba sendo punido por isso, também aqueles que agem em nome da Administração Pública precisam ter limites bem determinados e, claro, serem responsabilizados, civil e criminalmente, quando se excederem.

Realmente, não se consegue entender o porquê de tanto “medo” pela aprovação do projeto de lei. Afinal, mal algum há em se estabelecer limites à atuação de qualquer autoridade. Trata-se, sem dúvida, de uma garantia tanto para o agente público, que passa a saber até onde vai a sua “autoridade” e, ainda, o que pode (ou não) fazer, quanto para o particular, que ganha mais efetividade para se defender dos excessos perpetrados pelas “autoridades”.

Por fim, é preciso dizer que o PLS 280/2016, embora seja um avanço se comparado com a nossa lei atual, precisa, de fato, de alguns ajustes e reparos. Porém, a sua aprovação é, sim, medida imperiosa e urgente.

*Euro Bento Maciel Filho é advogado criminalista, mestre em Direito Penal pela PUC-SP e sócio do escritório Euro Filho Advogados Associados

Reflexos

Pedradas do PedroKA

Ações para o turismo
Ações para o desenvolvimento do turismo
Representantes dos municípios que compõem o Consórcio Quiriri e o vice-presidente do Conselho Municipal de Turismo (COMTUR), Jonathan Linzmeyer, participaram, na terça-feira (25), em Florianópolis, do primeiro Seminário de Secretários Municipais de Turismo de Santa Catarina, que teve como tema: “A Gestão Sustentável dos Destinos Turísticos”.
Segundo a diretora de Turismo de São Bento do Sul, Luiza da Silva, o evento, promovido pela Secretaria de Estado de Turismo Cultura e Esporte (SOL), teve como objetivo o planejamento de ações para o desenvolvimento do turismo no Estado.
O evento foi muito produtivo. Durante o seminário participamos de debates, palestras com foco na gestão e capacitação do setor. Além disso, foi abordado a regionalização do turismo do Estado para fortalecer a identidade local. Tivemos ainda a oportunidade de debater sobre as demandas e desafios do setor”, disse. 
NR. O passeio dever ter sido bom. Com certeza uma visitinha na Lagoa da Conceição para um camarãozinho que é o que o pessoal daqui sabe comer bem. De receptivo nada.

Abriram as comportas
Sempre achei a pirotecnia midiática da Lava Jato, uma verdadeira palhaçada. Agora os togados do Supremo abriram as comportas e começaram a liberar das prisões os famigerados lesa Pátria. Ladrões e bandidos que roubaram de crianças, idosos, doentes, hospitais, aposentados e que mereciam ser julgados pelo ditador Coreano e não por esta nossa Corte que faz espetáculos e quer aparecer como salvadora nas telinhas e capas de jornais. Infelizmente o velho chavão que tudo acaba em pizza está no forno e o queijo já começou a derreter.

A verdade
Até no Paraguai? Então o assalto que teria rendido aos ladrões U$ 40 milhões já virou R$ 25 milhões. Deve estar rendendo para muita gente mais que as propinas da Odebrechet.

Terceirização
Mais uma vez a terceirização no comando das entidades de classe prevaleceu. E assim caminha São Bento do Sul.

Igual nossos semáforos
Assim como aqui é um tal de acende e apaga. As autoridades brincam de prender e soltar. Solta o Bruno. Prende o Bruno. Solta a mulher do Cabral, prende a mulher do Cabral. Estão brincando de polícia e ladrão como nos meus tempos de criança.

Você sabe?
Qual foi o desfecho dos inquéritos que apuraram as causas da morte do ex-ministro Teori Zavascki?



terça-feira, 25 de abril de 2017

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Pérolas e pedradas do PedroKA

Hoje sou obrigado inclusive a alterar o título da minha coluna, por dois motivos, o primeiro e que é o maior, são as pérolas. No sábado eu e Zuleika comemoramos Bodas de Ouro  pelos 50 anos de casados. Como canta Roberto Carlos, foram muitas emoções. Amigos do coração e que conosco estiveram puderam testemunhar a celebração religiosa realizada pelo Padre Luíz na Capela do Divino Espírito Santo, enfeitada pelos arranjos florais da Dois Corações (Kriemilde e Sirley), como sempre registro "Mãos de Fada", pela dedicação e  carinho que sabemos como foram feitos. Pela Aline Decorações, toalhas e tecidos. Ao Jony Schier, voz e violão pelas canções entoadas. Ao Arison pela criatividade e profissionalismo nas projeções da parte litúrgica. Ao pequeno anjo Sofia que encantou a todos com a leveza de movimentos e a riqueza de sua beleza.
Ao Restaurante e Adega Alpenbier, (Uwe Stortz), local escolhido para a recepção e jantar, a equipe comandada pelo Cheff Jackson, impecável e irretocável, mais Janise e Gilmar.  Pela qualidade dos serviços e a excelência da mesa de frios e o jantar preparado por Rafael Beuther e sua equipe. Ambiente ricamente decorado novamente pela Dois Corações e transformado em uma sala de visitas com  todo o aconchego possível. Foi motivo de orgulho e satisfação pelos elogios recebidos. Ambiente ideal para a festa do jeito que planejamos. Recomendo este espaço e a qualidade dos serviços para quem pretende uma comemoração comandada por profissionais de alto nível. Os docinhos e bolo da Jaqueline (Doce Paraíso).  Aos músicos "Rato" e Luiz Gustavo pelo repertório. Ao profissional da fotografia Pedro Castelhano que infelizmente está nos deixando rumo a outro destino, mas cujos registros serão perenes. As participações de Pedro Mota, Patrícia e seu pai Zezé, um show a parte. Enfim já estou com saudades e com vontade de celebrar novamente. Posso dizer que além dos 50 anos, tudo valeu a pena. Obrigado gente querida.

Pedradas
Como nem tudo são flores, e o que me entristece é o amadorismo de certas pessoas e estabelecimentos que deveriam primar pela qualidade dos serviços e atendimento. São cartões de visitas que acabam por se tornar manchas que com certeza não serão facilmente esquecidas pelos que aqui vieram, por uns tão bem recebidas e outros que denigrem a nossa imagem. Gostaríamos de poder estar elogiando a todos como o fizemos acima, mas não merecem. Primeiro foi a decepção com o serviço de Eventos de um determinado hotel. Não é só a imagem e a suntuosidade que conta. Segundo a falta de profissionalismo de outro que cancelou nossas reservas feitas antecipadamente porque os proprietários e administradores estariam aproveitando o feriadão para eles fazerem turismo. Um dos hotéis que justamente abrigou hóspede vindo de Brasília, acostumado a viajar pelo mundo, solicitou um táxi e foi recomendado que o procurasse na Rodoviária. Ainda bem que ele não levou as malas e embarcou no primeiro ônibus. Lá não encontrou nenhum  e foi informado que não estavam circulando poque era feriado. Obrigou-se a me telefonar e fui buscá-lo. A procura, quase um périplo por salão de beleza para atendimento de algumas visitantes, no sábado. Salvos pela salão da Mônica no Super Center Germânia, este com a melhor boa vontade. O mesmo casal que não conseguiu táxi, no sábado pela manhã visitou a casa do Artesão, no prédio da Prefeitura. Queriam comprar casinhas de madeira para passarinhos  que viram no alto da loja. Perguntaram o preço e a atendente de plantão respondeu que precisaria de uma escada para verificar. Então eles responderam que iriam continuar a caminhada e mais tarde passariam por lá novamente. Sabem quando voltaram? Nunca! São registros que faço como já escrevi com tristeza, pois lamentavelmente possuímos uma Diretoria de Turismo que continuo dizendo que só serve para cabide de emprego.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

ZOOM Social - Por Pedro Alberto Skiba - 20-04-2917

               Belas mães, lindos filhos


"Não basta carregar no ventre e dar a luz, ser mãe é ser repetitiva no amor, no carinho, na educação e na dedicação, sempre presente, em todos os momentos."




Luiz Felipe e Luiz Gustavo, fazendo moldura para a bela mãe Rosangela dos Passos (Porto União/Balneário Camboriú)

  Hotel Refúgio Monte Olimpo - Campo Alegre


Reserve a data

Charme, elegância, descontração e uma boa causa. Cardápio Italiano (Alcaparraz). Dia 03 de maio na ARCO - Associação Recreativa Condor. As Meninas do Bem realizam pela primeira vez em São Bento do Sul, o JANTAR DO BEM, com renda totalmente revertida para obras sociais. Faça parte.




Novo Bispo





                          BODAS DE OURO
Tudo começou no dia 04 de setembro de 1960, quando eles se conheceram no antigo Cine Luz em União da Vitória. Dali para frente começa uma linda história de amor que culminou com o casamento em 22 de abril de 1967. Saudoso Padre Clement Kesselmeyer, dissertando Roberto Carlos, recebeu os noivos aos pés do altar da Igreja Nossa Senhora das Vitórias em Porto União, ocasião em que foram muito bem abençoados. O mesmo Padre transferido para a Lapa no Rio de Janeiro os recebeu para Missa em Ação de Graças pelos 30 e 35 anos de casados. Sábado, 22, na mesma hora, 17:30, Padre Luis Mazzochini os receberá na Capela do Divino Espírito Santo em São Bento do Sul, onde os abençoará pelos 50 anos de casados. Desta união os filhos Rodrigo e Ana Carolina e o neto Rodrigo Filho. Parentes e amigos confraternizarão em jantar no Restaurante e Adega Alpenbier. 


                 O casal em foto de Pedro Castelhano e com os filhos Rodrigo e Ana Carolina

Polski Festyn


POLAQUICES, estará com seus produtos na 20ª Polski Festyn em São Bento do Sul, no dia 21 de maio próximo, na Sociedade Bandeirantes. Conforme Ana Carolina Gebur, sua empresa estará comercializando produtos confeccionados com tecidos importados da Polônia, durante toda festa da 20ª Polski Festyn. A Diretoria da Sociedade Varsóvia já autorizou a presença da POLAQUICES de Curitiba  no almoço. Este ano haverá domingueira após o almoço e apresentação de danças folclóricas do Grupo da Escola Hercílio Malinowsky, com o músico de repertório de musicas polonesas, CELSO TABORDA, de Araucária/PR.







Giovanna Antonelli renova parceria com a Zattini 
Pelo segundo ano consecutivo, Giovanna Antonelli é a estrela da Zattini. Bem-humorada e sempre na moda, a atriz mostra sua personalidade cheia de estilo em looks com as últimas tendências. "Se vestir bem não está relacionado a ter muitas roupas e sim a ter boas ideias para usar de várias formas diferentes o que temos no armário. Quem me segue nas redes sociais pode perceber isso", declara.



VISTO ELETRÔNICO DEVE INJETAR R$ 1,4 BILHÃO NA ECONOMIA BRASILEIRA



A partir do final de 2017, turistas provenientes dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão terão mais facilidade e comodidade para viajar ao Brasil. Todo o processo de solicitação de vistos, pagamento de taxas, análise, concessão e emissão poderá ser feito pela internet, com a estimativa de que o processo completo dure apenas 48 horas. O governo brasileiro já conseguiu emplacar uma exceção temporária na política de reciprocidade diplomática para viajantes desses quatro países durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

                     Jantar das Estrelas



Masqué assina sapato de casamento de 

Gabriela Pugliesi.
A blogueira fitness optou por um modelo confortável para caminhar até o altar
Uma turma bacana é esperada no final de abril em Trancoso para o casamento do casal fitness Gabriela Pugliesi e Erasmo Viana. Para o grande dia, a noiva blogueira elegeu sapato da marca brasileira Masqué, da designer Adriana Pedroso, para compor seu wedding look.

A peça, desenvolvida com exclusividade pela marca hand-made, foi escolhida a dedo por Pugliesi na flagship store da Masqué, no bairro dos Jardins. "A Gabriela é muito decidida, ela olhou um sapato que já tínhamos na loja, se apaixonou e trabalhamos em cima dele", revela Adriana.

Há sete anos no mercado, a marca que mantém um DNA 100% artesanal foi a responsável por calçar a apresentadora Rafa Brites em seu casamento com o jornalista Felipe Andreoli, e pelos sapatos do desfile da estilista Fabiana Milazzo no último SPFW.




Revista Camboriú festeja 7 anos com mega evento no Maria’s
 Está chegando a hora da festa mais esperada do ano agitar o Maria’s Camboriú. Neste dia 29 de abril, a Revista Camboriú comemora 7 anos em grande estilo, num evento que promete ficar na história! Com produção de Jaison Gardini e Samantha Carvalho, a noite vai ter desfile onde as Gatas do Ano Revista Camboriú prometem arrasar.

                            Semeador
Vem aí mais uma colheita, do agricultor urbano e semeador de notas musicais Donald Malchitzky. Dia 10 de maio, a 14º edição do Semeador, na Sociedade Desportiva Bandeirantes. Imperdível.

ELEGANTES
Evolução e o colunista preparando junto com ilustres e antenados colaboradores a lista das Mais, Mais de 2016. Elegância, comportamento, modo de ser, vestir e participar serão ingredientes analisados. Aguardem!



quarta-feira, 19 de abril de 2017

Pedradas do PedroKA

Apelando para o PAPA
Os quadrilheiros agora estão apelando até para o Papa. Sabendo que sua presença tomaria conta dos noticiários, Temer e outros da gangue agora querem que o Papa Francisco venha visitar o Brasil. Os anjinhos que não pouparam nem a coleta da Igreja e esmola de cego estão achando que o Francisco é bobinho e vem aqui para lhes dar indulgência. Vão direto para quinto dos infernos, cambada de ladrões e não esqueçam, levem os Odebrechet junto.

Pantufas
O tempo está começando a esfriar e as pantufas estão deixando os armários.

Até quando?
Prefeito Magno Bollmann, até quando seu diretor do DETRU vai continuar brincando de acende e apaga? Quando der uma cagada das grandes a Prefeitura será responsabilizada, podes crer.

Ofendeu
E muitos chapa branca ficaram ofendidos com o Colombo. Ignorou a imprensa catarinense e foi dar coletiva em Brasília. Magoou!!!

Pizza é pouco
Diante do que tem exposto os advogados e juristas brasileiros, os processos da Lava Jato levarão, na boa, de 8 a 10 anos para serem julgados. Então já sabemos que toda esta pirotecnia vai acabar em nada. a maioria que está aí, sendo apenas denunciada e investigada, irá se candidatar novamente, o eleitor é ainda mais corrupto que eles e acabará os reelegendo. O tempo dirá.

Estátua
Quem está por merecer estatua e até ser canonizado é o Paulo Maluf. Perto dos atuais saqueadores virou trombadinha.

Papel
E o PSDB tem a cara e coragem de lançar uma propaganda na TV dizendo" O PSDB está fazendo sua parte". Esqueceram de dizer onde: NA PRIVADA. É preciso mesmo ter estomago.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Pedradas do PedroKA

Direitos autorais
Prezado senhor, Odebrecht e família propineira. Reivindico o lançamento da sua candidatura para presidente da República que já se tornou vossa. Fui o primeiro, sem delação premiada a lançar seu nome para a Presidência, até por uma questão de economia. Não seria mais preciso pagar propina e ficar ouvindo e vendo noticiários desairosos a sua pessoa, tão correta, íntegra e que constituiu um patrimônio dentro da lisura dos princípios éticos  e que por ser extremamente honesto e zeloso se tornou refém dos nossos políticos.

Recuando
- E o presidente Temer recua tanto que de repente se torna vice novamente.
- Ou Brasil estatiza a Odebrechet, ou a Odebrechet privatiza o Brasil.
- Todos os delatores das tornozeleiras ganharam como prêmio um Puxadinho do Minha Casa Minha Vida. E, ainda tem gente acreditando que eles se deram mal. 
- Acho que mesmo corrigindo nunca ganhei na vida o que o Barusco tem em vinhos escondidos na adega de um amigo. Imaginem quanto vale a tornozeleira dele?



Não faltava mais nada
Em Joinville os vereadores arrumaram uma pauta que está dando o que falar. Uma vereadora está propondo adoção pela comunidade de 10 galos de briga, aprendidos pela Polícia. É realmente um assunto prioritário e que merece toda a atenção do legislativo.

Teimosia
O diretor do DETRU além de teimoso é mal educado,  merece ser posto no olho da rua. Primeiro pela incompetência. Segundo por desrespeito com o contribuinte. Liguei para seu celular que me foi fornecido pela secretaria da Prefeitura e mal comecei a reclamar, desligou o telefone e me deixou falando sozinho O número se você também quiser fazer uma reclamação é 9 9112 0500. Agora o acende e apaga dos semáforos é  uma brincadeira de criança grande. Aliás, como temos que respeitar o funcionário público, este também deve nos repeitar.

Quero ver
Depois das listas, do escárnio com o dinheiro público, do descrédito dos políticos e partidos, quero ver quem vai se reeleger dos atuais detentores de mandato, Também quem vai ter coragem de pedir voto, fazer promessas e jurar que nunca recebeu dinheiro do Caixa 2.

E os nossos
Certa vez escrevi e muita gente não gostou, que os nossos políticos eram tão incompetentes que nem em escândalos se envolviam. E agora? Deram o nó nos corruptores. Segundo os delatores receberam e não cumpriram com o que prometeram. São mesmo os reis da malandragem. Os metralhas catarinenses. Imaginem como enganam os eleitores.

Canalha
Quem teve estomago para assistir as delações de Emilio Odebrechet, deve ter sentido na pele a vergonha e a revolta com tanta desfaçatez e deboche do delator. Comeu, bebeu, lambuzou-se e sujou a mão de políticos "sérios" e imaculados, pobres inocentes que foram corrompidos. Que gente. Que raça. Depois ainda saem por cima e irão continuar fazendo o que sempre fizeram. Irão continuar vivendo como os delatores da tornozeleira que pagaram multas e foram beneficiados com a boa vida da prisão domiciliar, temporária.A se fosse na Coréia do Norte. Por favor nos emprestem o Kim Jong-un só por 30 dias.

Horário oficial de Brasília
São 21 horas, trinta minutos, 39 senadores, 198 deputados federais, 8 ministros e alguns outros supseitos.

Reação
Tem um monte de gente arrepiado com uma recente nomeação para Biblioteca Pública em São Bento do Sul. Dizem que estaria mais para Museu, mas um quadro na parede. Gente malvada. Começou a renovação.